O segundo trimestre gestacional: psicologia perinatal

Psicologia Perinatal
O segundo trimestre gestacional é considerado o mais tranquilo dos três trimestres. Neste momento a gestante já apresenta menos ambivalência por sua gravidez, começa a sentir o movimento fetal, sua barriga começa a crescer e ficar em evidencia. Neste momento também os “sintomas” como sonolência, enjoo, cólicas, o medo do aborto espontâneo até o terceiro mês, entre outros já diminuíram ou sumiram, o que dá maior tranquilidade a grávida.

Neste momento também, a maioria das pessoas já sabem a respeito da gravidez, então a gestante começa a receber reforço social pela sua condição de grávida, não é raro que ela receba mimos e que sua gestação seja sempre o foco das conversas com as amigas e parentes. A gestante no segundo trimestre sente-se mais a vontade também para usufruir de seus diretos em filas, estacionamento entre outros.

Um evento que também ocorre neste período é o sentir o movimento fetal tal fato proporciona uma emoção muito especial nas gestantes, fazendo que o vínculo entre mãe e feto comece a ser fortalecido. Há também neste momento o conhecimento do sexo do bebê, que contribuirá ainda mais para esta vinculação, pois, o bebê desconhecido se torna mais conhecido para a gestante/casal grávido. Tal fato possibilita pensar em um nome, roupas e decorações para o quarto, desta forma, o bebê vai se tornando cada vez mais presente como membro da família.

Entretanto, há também gestantes que descobrem sua gravidez no segundo trimestre, desta forma, há grandes possibilidades de alta ansiedade neste momento em vez de tranquilidade. Há também aquelas que não desejaram a gravidez e que podem ainda não estar satisfeitas com a ideia de que estão grávidas e o adoecimento mental pode ocorrer devido a este fato, ou ainda há outros fatores como, o sexo do bebê não corresponder ao que a gestante desejava.

Se a grávida tem histórico de transtorno mental é possível também que no segundo trimestre ela comece a dar indicativos que a doença pode se manifestar novamente, portanto, parceiros, familiares e amigos devem ficar atentos aos comportamentos da gestante, se ela demonstrar comportamentos muito diferentes ao que geralmente ela apresenta, vale a pena uma conversar com ela para agendar um acompanhamento psicológico, de preferencia com profissional especializado nesta área como é o psicólogo perinatal. Além do pré-natal médico, é importante que toda gestante também pudesse ter o seu pré-natal psicológico evitando, portanto, o adoecimento psíquico na gestação e no pós-parto.