março 7, 2022

Como não é comum um psicólogo aprender sobre psicologia perinatal na graduação, muitas vezes nos pegamos perguntando por que não há o ensino do nicho de saúde mental perinatal na faculdade?

Um dos motivos é que apesar de o conceito de saúde mental materna já ser ANTIGO, é ao mesmo tempo NOVO. Existe uma crença de que o período gestacional, de parto e pós-parto, é um momento de plenitude, alegria e bem-estar do casal. De certa forma, essa ideia acabou por ATINGIR até mesmo a comunidade científica devido a CRENÇAS de que não poderia haver nada de DISFUNCIONAL emocionalmente no período perinatal por ser um momento feliz, mas ao trazer isso ao questionamento científico compreendemos que essa não é bem a REALIDADE. 

Não podemos ROMANTIZAR a maternidade, mães podem sim passar por alterações emocionais significativas. Quanto maior o estresse, a ansiedade, a depressão, transtornos mentais e outras alterações, maior é a necessidade de INTERVENÇÃO psicológica. 

Psicólogos estão tomando ciência de que a fase de gestação, parto e pós-parto pode ser muito difícil emocionalmente não só para a mulher como para  casal e nos últimos anos estão compreendendo e estudando mais sobre isso, justamente para levar esse aconhecimento para seus alunos.

Então apesar de a psicologia perinatal ser uma disciplina muito importante para a formação do psicólogo, somente a partir de 2018 é que os acadêmicos passaram a entender melhor esse conhecimento por isso ainda não temos essa disciplina na maioria das graduações  de psicologia no Brasil.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}