maio 27, 2022

Por Profª. Pós-Drª. Rafaela de Almeida Schiavo CRP/0693353

São várias as categorias de VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER. Uma delas é a chamada Violência Obstétrica. Qualquer desconforto sentido pela grávida, parturiente ou puérpera advindo de um desrespeito que sofreu de um profissional da saúde durante atendimento, é uma forma de violência obstétrica.

Quando a violência ocorre na gestação pode acarretar nascimento prematuro, complicações obstétricas, assim como desencadear alterações emocionais que podem evoluir no pós-parto se tornando depressão.

A  violência obstétrica não é cometida apenas por médicos obstetras, como alguns acreditam. Infelizmente existem profissionais despreparados para atuar com gestantes, parturientes e puérperas e acabam no atendimento não oferecendo respeito e tratamento baseado em evidências científicas.

Tanto no setor PÚBLICO de saúde como no PRIVADO, há relatos de mulheres que sofreram violência obstétrica. Muitas vezes a mulher nem sabe que sofreu violência obstétrica por desinformação, mas nem por isso deixa de ser um fator de risco para a saúde materno infantil

A Violência Obstétrica precisa ser denunciada e debatida. Para isso Psicólogos precisam conhecer mais sobre essas questões para dialogar com a sociedade, levando informações para prevenção. Responsabilidade social é uma dos deveres do psicólogo.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}