setembro 11, 2020

Por Fabiane Espíndola De Assis
Psicóloga Perinatal (Instituto MaterOnline) CRP 18/03893

A gestação é um período na vida da mulher de grande transição, que além das mudanças corporais também podem acontecer mudanças psíquicas e sociais.
Este fato se torna ainda mais marcante quanto a gestante é primigesta. É esperado que a mulher apresente níveis significativos de ansiedade perante ao desconhecido, em decorrência das próprias mudanças dessa fase.
Para Costa et al. (2018, p.692). “A gestação e o puerpério são reconhecidos como fatores de risco para o desenvolvimento e exacerbação de problemas na saúde mental, com prevalências semelhantes de transtornos mentais na gravidez quanto no pós-parto”.

Tendo em vista o atual quadro de pandemia da Covid-19, a Organização Mundial da Saúde (OMS) elucida que uma das consequências já observadas é a pressão psicológica e estresse em grande parte da população devido aos riscos de contaminação e isolamento social.
É possível notar que tal fator tem se manifestado de maneira mais intensa com as gestantes devido as inseguranças com o diagnóstico e prognóstico ainda desconhecidos mundialmente.

O grupo de apoio e orientação tem como objetivo proporcionar um espaço de escuta neutra e qualificada para as participantes, onde possam falar de suas emoções, dúvidas, inquietudes e temores, atua na prevenção, promoção e manutenção da saúde mental materna que neste período é marcada por alterações emocionais com possibilidade de desencadeamento de conflitos psíquicos.
Trabalhar as principais queixas do período, o estresse, a ansiedade; desmistificando mitos e realizando a psicoeducação sobre as mudanças psíquicas que podem influenciar possíveis transtornos mentais; o desenvolvimento do bebê, e o ambiente familiar são aspectos importantes para o suporte emocional. 

Nesses grupos o número de sessões é geralmente pré-fixado, e a estrutura é diferenciada, uma vez que a coordenação fica sob responsabilidade de um psicólogo, que atua como facilitador na criação de um espaço para a troca de experiências e discussões, no qual os participantes são encorajados a expressar e a compartilhar seus conhecimentos, angústias, ansiedades, culpas, ambivalências, e outros assuntos que contemplam as diferenças e as identificações entre eles (MALDONADO, 2003).

Nesse sentido destaca-se a importância da prevenção da saúde materna e a relevância deste projeto, fazendo referência à um acompanhamento do período gestacional que compreende as fases da concepção ao puerpério, destacando a prevenção, e a manutenção da saúde mental das mulheres, o bem-estar e saúde da mãe e do feto, amparando não só a gestante voltando as características deste processo como discorrendo sobre os atores envolvidos na constituição familiar.

O espaço de escuta e orientação para gestantes pode ser bastante significativo em meio a pandemia, como um meio de simbolização e compartilhamento de sentimentos e vivências, tendo em vista a elaboração de fantasias e sentimentos como um componente para a preparação do novo papel de mãe, além da importância de certas orientações para que o período gestacional seja vivenciado da maneira mais harmoniosa possível.

REFERÊNCIAS 
COSTA, D. O. ET AL. Transtornos mentais na gravidez e condições do recém-nascido: estudo longitudinal com gestantes assistidas na atenção básica. Ciênc. Saúde Coletiva,  Rio de Janeiro,  v. 23, n. 3, p. 691-700,  Mar.  2018. Disponível em:  <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232018000300691&lng=en&nrm=iso>. 
MALDONADO, M. T.; CANELLA, P. Recursos de relacionamento para profissionais de saúde. Rio de Janeiro: Reichmann & Affonso Editores, 2003.

Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}