setembro 3, 2021

Muitas vezes a existência da VIDA PSÍQUICA no bebê é IGNORADA, até mesmo profissionais da saúde e psicólogos não sabem da POTENCIALIDADE que o bebê tem e ainda acreditam que a psicoterapia e a vida psíquica do bebê só é possível após os dois anos de idade. Entretanto, após o quinto mês de gestação, já é possível verificar as VÁRIAS MANIFESTAÇÕES de vida psíquica no bebê, desde a compreensão e emoção até a comunicação entre mãe e feto.

O processo de DESENVOLVIMENTO FETAL acontece a partir de uma célula que se torna em duas, inicia no período germinal, passa para o embrionário e depois para o fetal. Dentre esses períodos, muitas MEMÓRIAS e REGISTROS vão acontecendo no bebê ainda no ÚTERO e ao trabalhar na clínica com o bebê nota-se isso de forma mais clara.

Se você é um(a) psicólogo(a) clínico(a) e atende crianças de 2 a 6 anos de idade, não raramente as brincadeiras e falas remetem a acontecimentos da vida intrauterina. A psicanalista Alessandra Piontelli questionou acerca da existência do PSIQUISMO FETAL e em seus estudos foi possível identificar que brincadeiras entre irmãos gêmeos no útero ocorriam na vida pós-uterina, podendo inclusive verificar a formação da PERSONALIDADE já em útero.

Muitas coisas que acontecem em nossa vida ficam registradas em nossa MEMÓRIA, até mesmo EMOÇÕES do dia do nosso nascimento que posteriormente podem se MANIFESTAR em nossa vida adulta no momento do PARTO.

Há pouco tempo atrás ainda acreditava-se que bebês não sentiam dor e cirurgias sem anestesias eram realizadas em bebês devido tal CRENÇA, mas com o avanço da ciência descobriu-se que o bebê já nasce com prontidão perceptiva, terminações nervosas, atenção, emoção e compreensão muito além do imaginado.

O início da vida está antes da fecundação, já pode existir no pensamento dos pais que o planejaram ou não, a forma como foi concebido, se com violência ou amor, como foi gestado, se com medo, alegria ou depressão… São fatores que influencia na vida de cada sujeito e está atrelado a PERSONALIDADE e COMPORTAMENTOS de cada um ao longo do desenvolvimento humano.

Psicóloga(o), precisamos de mais profissionais interessados em ajudar a melhorar o mundo, fazendo A DIFERENÇA na atuação, é um trabalho de formiguinhas onde talvez não conseguiremos mudar o mundo, mas podemos mudar a vida de alguém, de alguns e quem sabe uma parte do mundo, tendo um olhar mais AFETIVO, PROFISSIONAL e de COMPETÊNCIA para o início da vida.

Referências

PIONTELLI, Alessandra et al. Development of normal fetal movements. Berlin: Springer, 2014.

Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}