novembro 15, 2021

Por Profª. Pós-Drª. Rafaela de Almeida Schiavo CRP/0693353

https://t.me/profissionaisemacao/3276

Se você pensou que se constrói um mundo melhor através da psicologia perinatal, ACERTOU. A maioria dos psicólogos costuma focar nos estudos e atendimentos para ADULTOS. O esforço é todo investido em neuroses e conflitos já instalados, investigação de traumas, crenças, significados e as  relações do ser humano com outros ao longo de sua vida. Passa-se tanto tempo cuidando de adultos, auxiliando a solucionar conflitos já instalados e pouco pensamos a diferença que faz no mundo o cuidado no INÍCIO DA VIDA.

O psicólogo trabalha com histórias, sonhos, metas e projeções das pessoas que são compreendidas a partir das suas vivências. O psicólogo é o profissional que OLHA e APREENDE a história e subjetividade de cada um.

Imagine agora que há nas mãos do psicólogo o PODER de contribuir para a construção de uma história de vida com MENOS conflitos, uma sociedade com uma ESTIMA MELHOR, isso é possível cuidando de pessoas do início da vida. Ao cuidar da saúde mental da mãe CONSEQUENTEMENTE já está cuidando do bebê, pois, viabiliza o caminho para ser liberado hormônios adequados, parto orientado para uma boa experiências, as boas práticas do nascer, diminuir as culpas, desmistificar ideias e elucidar sobre a mãe suficientemente boa, responsivos, que favorece o apego seguro, a estimulação do desenvolvimento e outros.

O psicólogo que cuida de pessoas no início da vida não é aquele que irá EVITAR FRUSTRAÇÕES, mas proporcionar MELHOR saúde mental, maiores habilidades para lidar com problemas, desenvolvimento da AUTONOMIA. Há muitos países como na Europa, por exemplo, que investem muito nos primeiros três anos de vida, na gestação, no parto e pós-parto, pois estão PREOCUPADOS com os seus cidadãos do futuro. Embora a realidade política no Brasil não esteja nem perto disso, o psicólogo precisa assumir a sua responsabilidade social com o ser humano e agir. Cuidar de pessoas no início da vida já é DESDE o planejamento da gravidez, não somente após o nascimento.

Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}