abril 1, 2022

Por Profª. Pós-Drª. Rafaela de Almeida Schiavo CRP/0693353

Há no Brasil cerca de 3 milhões de gestações por ano, dentre esses bebês alguma porcentagem nasce prematuro, alguns casos passam por violência obstétrica, nem todos são planejados e algumas gestantes irão passar por alterações emocionais significativas. 

São muitas as demandas que vem junto com a gravidez. São 3 milhões de gestações e apenas 400 mil psicólogos, sendo que apenas 2 mil são conhecedores qualificados para atender a área perinatal, logo, são MENOS DE 1% dos psicólogos cuidando da saúde mental materna no Brasil. Em consequência disso, as mulheres acabam por não saber que existe um psicólogo ESPECÍFICO para atendê-la nesse período, então ao procurar qualquer profissional GENERALISTA acaba por se deparar com alguém que não sabe dos fenômenos esperados e não esperados que envolve a perinatalidade e pode acabar trazendo consequências negativas para a saúde mental desta mulher. Se você procura um nicho e deseja se realizar profissionalmente, financeiramente e pessoalmente, a psicologia perinatal é um caminho que precisa de você e não há CONCORRÊNCIA.

Quando a mulher passa por VIOLÊNCIA OBSTÉTRICA, por exemplo, o seu bebê também carrega essa marca, pois é uma violência em seu nascimento deixando um registro não positivo. Sua primeira vivência na terra é ser retirado da mãe, levado para um ambiente frio, sem o contato pele a pele com a mãe. O começo da vida marca o registro do sujeito, a ausência de zelo e cuidado, por isso, dependendo do que ocorre no pós-parto pode influenciar na identidade e na personalidade do sujeito 

Ao cuidarmos da saúde mental de um adulto na psicologia, costumamos voltar ao longo de sua história passada para compreender as BASES que esse adulto recebeu em sua vida para aí podermos realizar nossas INTERVENÇÕES. A psicologia perinatal lhe dá a oportunidade de atuar direto na base, cuidando da saúde mental de alguém que ainda está em desenvolvimento fetal. Que tal atuar com a depressão de uma pessoa aos 40 anos de idade, mas quando ela acabar de nascer ao invés de esperar chegar aos 40 para prevenir que ela nem tenha depressão? Ajudar pessoas no início da vida é um trabalho de promoção de saúde e prevenção de doenças.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}