julho 14, 2021

Por Profª. Pós-Drª. Rafaela de Almeida Schiavo CRP/0693353

Existe uma fantasia de que o psicólogo perinatal só atua na clínica, isso é um MITO. Ao longo deste texto pretendo descrever alguns dos espaços onde o psicólogo perinatal pode atuar e os tipos de demandas. 

A CLÍNICA é um dos espaços para atuar com mães, provavelmente você já atendeu alguma gestante. Ainda que a perinatalidade não seja o nicho específico de atuação do psicólogo clínico, é importante ter o conhecimento sobre a área para melhor atender quando surgir a demanda. É ainda mais importante quando este é o nicho específico de atuação do psicólogo, pois não se atende às demandas perinatais baseadas na experiência pessoal de maternidade.

Outro espaço onde o psicólogo perinatal pode atuar é em HOSPITAIS  MATERNIDADES, espaço este em que o psicólogo precisa saber sobre bebê real e idealizado, romantização da maternidade, aconselhamento genético, perda fetal, gestação de alto risco e outros.

As UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE ou CENTROS DE SAÚDE são outro espaço onde o psicólogo perinatal pode atuar com grupos de gestantes, assim como também com os agentes de saúde, os preparando para identificarem alterações emocionais, os fatores de riscos e quando é necessário realizar encaminhamento para psicólogos. Além de que a UBS é um espaço eficaz para a realização do PRÉ-NATAL PSICOLÓGICO e o planejamento familiar.

Outro espaço de atuação é em CENTROS DE ABORTO LEGALIZADO, no caso do Brasil é permitido mediante a situações como estupro e gravidez que coloca a vida da mulher em risco de morte. Nesse espaço o psicólogo atenderá casos de mulheres que precisam escolher entre continuar ou interromper a gestação juntamente com a ELABORAÇÃO desse processo.

Outro campo é na ASSISTÊNCIA SOCIAL e JURÍDICA com casos de adoção. O psicólogo perinatal pode atuar junto as famílias adotivas e orientando sobre a construção da parentalidade, a importância das práticas educativas, do amor e do desenvolvimento infantil. O psicólogo perinatal também pode atuar com mulheres que desejam seguir com a gestação para posteriormente realizar a entrega legal para o Estado. 

Outro espaço de atuação perinatal pode ser os CAPS (Centro de Atenção Psicossocial) onde recebe-se especialmente demandas relacionadas a psicose, estresse pós-traumático, depressão, ansiedade generalizada e outros transtornos mentais que também podem acometer gestantes e mulheres no pós-parto, haja vista que o período perinatal é o momento do ciclo vital feminino em que MAIORES são as chances de desenvolver ALTERAÇÕES EMOCIONAIS significativas. 

Outro espaço é a ESCOLA atuando com questões relacionadas a gravidez na adolescência, planejamento familiar, orientação às famílias de adolescentes grávidas e debates com o corpo docente. Em grandes ORGANIZAÇÕES sempre haverá gestantes, o psicólogo pode auxiliar no processo de adaptação em outros setores e funções que REDUZAM as condições de risco devido à gestação da funcionária, muitas vezes essa gestante pode estar sujeita a LIDAR com olhares negativos por ter engravidado, como, por exemplo, o PRECONCEITO de chefes e funcionários que podem supor que serão sobrecarregados em funções devido à mulher precisar se ausentar durante determinado tempo.

O PSICÓLOGO PERINATAL na organização compreende os aspectos da licença maternidade, os fenômenos do puerpério e também pode trabalhar para evitar que as gestantes peçam demissão após o cumprimento da licença. É importante trabalhar a volta ao emprego e o incentivo ao aleitamento materno, assim como também orientações aos líderes sobre a mulher GRÁVIDA no MERCADO DE TRABALHO.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}