junho 1, 2022

Por Profª. Pós-Drª. Rafaela de Almeida Schiavo CRP/0693353

O ESTRESSE é uma alteração emocional significativa que não deve ser banalizada, especialmente na gestação. Ao identificar a presença do estresse um sinal de ALERTA é ligado, pois, a probabilidade da gestante apresentar posteriormente a depressão pós-parto, é AUMENTADA.

Existe ASSOCIAÇÃO entre o ESTRESSE gestacional e a DEPRESSÃO pós-parto, portanto não é nada que deve ser deixado de lado, nem tampouco frescura. Mais da metade das mulheres no período perinatal no Brasil apresentam sintomas de estresse em alguma fase, isso significa que mais da metade das gestantes e puérperas no país, estão em risco para apresentar sintomas de depressão pós-parto.

A diferença entre a ansiedade e o estresse é que, a ansiedade tem a ver com MEDOS, ANGÚSTIAS e INCERTEZAS por isso, tem muito mais a ver com o estado emocional. Já o estresse é uma REAÇÃO DO ORGANISMO frente a determinadas situações que o incomodou, fazendo com que esse organismo estressado libere hormônios como o CORTISOL.

Logo, o estresse não é um evento emocional como a ansiedade, mas a liberação do cortisol no organismo pode ser devido a situações emocionais. Com isso, há o entrelaçamento entre ansiedade e estresse, se uma gestante apresentar elevada ansiedade, consequentemente estará também liberando cortisol na corrente sanguínea, o estresse é a reação orgânica de liberação do cortisol.

Alta ansiedade e estresse elevado também estão relacionados a PREMATURIDADE. 

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}