junho 18, 2021

Thaís Franco Pereira Marques / CRP: 08/17474

Você sabe qual a diferença entre “suporte emocional” e “suporte psicológico”? O “suporte emocional” acontece em toda e qualquer relação que haja respeito, escuta e cuidado. Seja em uma rede de apoio ou mesmo na relação com algum profissional, como é o caso das Doulas.  Provavelmente o suporte oferecido através dessas relações seja fundamental para que você se sinta acolhida, mais tranquila e segura, influenciando positivamente em seus sentimentos.

Já o “suporte psicológico” é oferecido por um Psicólogo (a) em um processo de psicoterapia ou análise, quando se está em busca de uma melhor compreensão de si mesma (o) e de seus sentimentos, de autoconhecimento e/ou em momentos difíceis, quando sua fragilidade emocional demanda maiores cuidados.

Saber diferenciar essas práticas é importante para procurar e consequentemente, receber o atendimento adequado às suas necessidades. Quando se trata do puerpério, por exemplo, é importante cuidar com falas genéricas (que muitas vezes vem de profissionais que oferecem algum tipo de suporte) do tipo: “é assim mesmo”, “é normal o que você está sentindo”, “todo mundo passa por isso”, “logo vai passar”.

Falas com essas atendem mais as necessidades de quem fala do que, de quem escuta! São descontextualizadas, generalistas e negligentes, pois desconsideram a história tão singular e cheia de significado que há por trás de um sentimento como o que emergiu nesse momento, indo ao encontro de um sistema que “não escuta” as mulheres em seus desejos, suas necessidades, além de exercer a violência de forma natural e sutil.

Para se realizar a escuta no puerpério é necessário conhecimento por parte do profissional e é necessário desejo, das duas partes – de falar e de ouvir. É necessário abertura, das duas partes. É precioso e é sagrado. Não dá pra desperdiçar tempo e oportunidade.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}